Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Agora para ficar?

Cultura

Luiz Carlos Merten

02 Julho 2011 | 19h19

Vou começar de novo. Fiquei três dias na UTI do Nove de Julho. graças ao recrudescimento da minha pneumonia. Não podia postar, uma porque não me sentia muito bem e dois porque o laptop poderia intereferir no funcionamento dos aparelhos. Fiquei de castigo, vendo TV, mais lixo do que a mente humana está capacitada para suportar. Poucos canais pagos funciovavam. Vi alguns episódios de CSI e tenho de confessar mais um vez, se já não o fiz, que tenho a maior fissura na Marisca Hargitay. Em compensação, quando passsava zapeando pelas driabribes do Datena aquilo não era o demo sozinho, era a própria legião. Como pode? Deus, esse Senhor, deve terr nos testado com o líbre arbítrio, permitindo escolher o horror. Falei no início que estou começando de novo. Estava louco para quebrar o jejum e voltar a postar. Fiz um post enorme. Na hora de salvar, perdi. Espero que não se repita. Lembrei-me de meu colega Hiron Goidanich, de Porto Alegre. Quando seu amigo e colaborador Luiz César Cozzatti entrou em coma – e morreu. prematuramente -, Goida escreveu um texto que nunca li, mas que muita gente me definiu como uma obra-prima de emoção e sesebilidade. Goida imaginou as cenas de filmes que Cozzatti via, ininterruptamente. durante seu coma profundo. Qual delas meu amigo, meu médico, que ele foi, ocasionalmente, terá levado para eternidade? lembrem-se de ‘Depois da Vida’, do japonês Kore-eda? Eu, até por não estar em coma, mas, pelo contrário, pensava em posts. Construí e reescrevi centenas, milhares de posts. Alguns, muitos?, hei de refazer. Este é para dizer que, como Willie Boy, estou de volta.

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Encontrou algum erro? Entre em contato