Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Adoro uma miscelânea

Cultura

Luiz Carlos Merten

26 Janeiro 2010 | 17h09

TIRADENTES – Ando tão envolvido com a Mostra de Tiradentes – desculpem se não estou postando sobre os filmes, mas o fato de integrar o júri da crítica me impede de falar da competição -, que ando meio desligado dessa história de Oscar e até do Festival de Berlim, que este ano divulgou – está divulgando? – sua seleção à base de conta-gotas. Não sei nem a data exata do anúncio das indicações para o Oscar, se ainda será em janeiro ou começo de fevereiro (a premiação de 2010 será em março). Mas tenho acompanhado alguns indicadores. O Producer’s Guild escolheu ‘O Horror da Guerra’, de Kathryn Bigelow, como melhor filme do ano e isso fortalece a candidatura da ex de James Cameron para os prêmios de filme e direção, depois que ela perdeu para ele o Globo de Ouro. O Actor’s Guild escolheu Jeff Bridges (‘Crazy Heart’, que vi em Los Angeles) e Sandra Bullock (‘O Lado Cego’ – é assim mesmo que vai se chamar ‘The Blind Side’?). Jeff é bom e há anos persegue o prêmio, mas eu confesso que tenho uma vaga implicância com ele. Reconheço que se trata de um dos atores mais conscientes de Hollywood, mas justamente por isso ele se toma excessivamente a sério. O cara que fez o psiquiatra de ‘O Espelho Tem Duas Faces’ tinha de ter mais noção do próprio ridículo, mas enfim… A disputa será entre Jeff Bridges e George Clooney? Xokito postou outro dia um comentário dizendo que acha que eu vou gostar de Meryl Streep em ‘It’s Impossible’, pelo qual ela também deverá concorrer. Já vi, Xokito, em Paris, e acertaste – gostei. Aproveito o post para comentar os novos números de ‘Avatar’. O filme já ultrapasssou a receita internacional de ‘Titanic’, do próprio James Cameron – US$ 1,28 milhão no último fim de semana, contra US$ 1,24 bi do outro filme. Só no mercado doméstico ‘Titanic’ ainda continuava à frente, mas a essa altura já era – uma diferença de US$ 2 ou 3 milhões, apenas. Cameron é f…, senhoras e senhores e já que o post está uma miscelânea vou acrescentar mais uma observação. Tenho pensado muito na floresta de ‘Anticristo’, de Lars Von Trier, como espaço interior, relacionando-a com a exuberante floresta de ‘Avatar’, que é um espaço da imaginação. Soube, por meio de Dib Carneiro Neto, que Gabriel Vilella, ficou louco pela floresta de Cameron como espaço ‘cenográfico’ e até vaticinou. Este ano, é tarde demais, mas no ano que vem com certeza a floresta de ‘Avatar’ estará proliferando seus clones nos sambódromos do Rio e de São Paulo. E vocês viram, né? O Vaticano está contra Cameron, acusando de querer criar uma religião da natureza em ‘Avatar’. Se pelo menos a Sé acusasse o diretor de querer voltar à natureza… As primeiras religiões, eu acredito – posso estar enganado -, foram baseadas na força na natureza. Vi ontem um filme aqui em Tiradentes, ‘Terras’, de Maya Da-Rin, em que a índia fala da Terra como um espaço sagrado. Chega – vou terminar falando do filme de Maya, da competição de Tiradentes e não posso. Religiosamente, fiz meu voto de silêncio.