Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » ‘A Última Caçada’

Cultura

Luiz Carlos Merten

04 Janeiro 2012 | 23h33

Pegando carona no post ‘Ecos de Shane’, Mauro Brider conta que comprou o DVD de ‘A Última Caçada’, lançado por uma nova distribuidora, a Spectra Nova, que ele esculhamba pela má qualidade das imagens e das legendas. ‘The Last Hunt’ era um dos filmes de Richard Brooks que conhecia só pela fama de western pouco convencional. Teria de pesquisar para confirmar, mas assisti-o somente no ano passado, em Paris, não sei se depois de Berlim ou de Cannes, numa programação da Filmotheque du Quartier Latin, na Rue dees Écoles. Assisti numa sala ao western de Brooks e na outra a ‘Quatro Cavaleiros do Apocalipse’, de Vincente Minnelli, que revi na retrospectiva do pai de Liza, no CCBB de São Paulo.Já contei a vocês que havia comprado um livro de Douglass K. Daniel sobre ‘The Life and the films of Richard Brooks’. Chama-se ‘Tough as Nails’. Fui procurar as informações sobre os bastidores de ‘A Última Caçada’ e fiz descobertas bem interessantes sobre o diretor. Brooks estava preso por contrato à Metro e o estúdio, leia-se Dore Schary, queria que ele dirigisse ‘Conspiração do Silêncio’,. Bad Day at Black Rock. Brooks gostava do material e do ator, Spencer Tracy, mas não aceitou dirigir o script que não escreveu e não estava autorizado a modificar. Entrou em cena John Sturges, que fez o belo filme sobre o qual já falamos aqui, e Brooks ficou livre para realizar ‘Sementes da Violência’, Blackboard Jungle, que virou um marco da juventude transviada na tela. “Sementes’ foi um estouro de bilheteria, ganhou indicações para o Oscar e Brooks, que sonhava dirigir um western, aceitou quando o estúdio lhe ofereceu ‘A Última Caçada’. Não é mera impressão do Mauro, mas o filme, realmente, tem tudo a ver com ‘Rastros de Ódio’, The Searchers, de John  Ford, feito no ano seguinte, 1956. Em ambos, o Oeste está mudando, temos personagens – John Wayne, para Ford,. Robert Taylor para Brooks – consumidos pelo ódio. ‘A Última Caçada’ é sobre dois caçadores de búfalos. Os animais estão em  extinção, Robert Taylor é um caçador sádico, que tem prazer em matar – homens ou animais. Stewart Granger faz seu parceiro, consumido pela consciência das violências cometidas. O curioso é que Brooks queria fazer o filme com Montgomery Clift e Gregory Peck e o estúdio vetou, preferindo dois atores sob contrato na Metro. Robert Taylor e Stewart Granger haviam feito outro western, ‘Irmão Contra Irmão’, e a Metro resolveu inverter os papeis, fazendo de Taylor o vilão e de Granger, o mocinho. Anne Brancroft estava escalada pára fazer a mocinha, a jovem índia, mas se machucou numa cena de cavalgada e foi substituída por Debra Paget. Gostei de ‘A Última Caçada’ quando finalmente vi o filme – e mesmo convicto de que o outro western de Brooks, ‘Os Profissionais’, com Burt Lancaster e Lee Marvin, é muito melhor. Mas ‘A Última Caçada’ é atípico, e não apenas como western. A divisâo dos mocinhos, os conflitos entre culturas – o ajudante índio dos caçadores, a amante sioux -, tudo predispõe o filme a fugir das convenções. Stewart Granger era casado com Jean Simmons e o curioso é que, anos mais tarde, ela se casou com Brooks – e viveram juntos até a morte dele. É um diretor que amo. Gostaria de acreditar que vocês compartilham essa admiração (ou preferência).

Encontrou algum erro? Entre em contato