Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » A mais bela Maria

Cultura

Luiz Carlos Merten

13 Outubro 2009 | 15h32

Leandro lembra que hoje, 13 de outubro, se completam 92 anos do milagre de Fátima e pergunta, não sei se a sério, não sei se brincando, quem foi a Nossa Senhora mais bonita do cinema? Estive em Fátima em janeiro, durante as férias, pela segunda vez, e somente agora visitei a casa de Lúcia. Fátima é impressionante. Tudo ali remete ao milagre e aos pequenos pastores e à religiosidade do povo português e, ao mesmo tempo, tudo é de um mercantilismo atroz. Tudo em Fátima parece estar à venda, é verdade que com uma efigiezinha de Nossa Senhora para ‘atenuar’ o mercantilismo vil… Sempre gostei muito do Cristo expulsando os vendilhões do templo, nos filmes de Nicholas Ray (‘O Rei dos Reis’) e Pier Paolo Pasolini (‘O Evangelho Segundo São Mateus’). É curioso, não se tem algum subtexto psicanalítico, mas sempre achei que Siobhan McKenna, que fazia a Maria madura de Nick Ray, era muito humana e parecida com minha mãe, Cecília. Acho que, na maioria das vezes, o cinema não teve Marias muito belas justamente porque são poucas suas biografias e ela aparece sempre como a mãe de Jesus, no Calvário, não apenas mais velha como destroçada pela dor. Mas existe, como reserva, a Maria de Henry King em ‘A Canção de Bernadette’, de 1943, com Jennifer Jones como a garota francesa que comprou uma guerra com a Igreja Católica por ter visto a Virgem. Quem fazia o papel, fugazmente, sem crédito, era a mais bela Maria do cinema – Linda Darnell, atriz de John Ford, Rouben Mamoulian, René Clair, Otto Preminger e Joseph L. Mankiewicz. Pode ser infame, mas Linda trazia a própria beleza no nome. Que morenaça! E tinha um tipo latino…