Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » A dupla que faltou

Cultura

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cultura

A dupla que faltou

Luiz Carlos Merten

28 Novembro 2008 | 17h26

Citei num post recente grandes duplas do cinema. Queria chegar aos meus querids Errol Flynn e Olivia De Havilland , de ‘O Intrépido General Custer’, mas poderiam ser também os de ‘As Aventuras de Robin Hood’ e ‘Capitão Blood’. Seis que terminei por lembrar somente ‘parejas’ célebres de Hollywood e me arrependo de não ter lembrado, na hora, de Marcello Mastroianni e Sophia Loren. Foram tantos filmes, e de diretores como Vittorio De Sica e Dino Risi, embora o melhor filme dos dois, enquanto dupla, não seja de nenhum desses diretores. Posso considerar ‘A Viagem do Capitão Tornado’ a obra-prima de Ettore Scola, mas ‘Una Giornata Molto Particolore’ (Um Dia Muito Especial)é a celebração definitiva da dupla Mastroianni-Loren. Ambos desglamourizados – ele, num papel de gay, ela, como dona-de-casa insatisfeita -, fazem parte das minhas, espero que das nossas emoções definitivas no cinema. Acho que foi Jean Tulard quem escreveu que o grande tema do cinema de Ettore Scola é sempre o testemunho que ele, como humanista, quer nos deixar. Seu testemunho sobre – e contra – o nazifascismo, com a dupla Loren-Mastroianni, toca a perfeição.

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Encontrou algum erro? Entre em contato