Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Cultura

Cultura » Você é responsável por seus atos

Cultura

Estadão

13 Setembro 2010 | 13h55

capa Esquire

capa Esquire

A modelo israelense Bar Refaeli é namorada de Leonardo DiCaprio, portanto não é responsabilidade minha. Infelizmente

Você é responsável por seus atos.

Eu sei, eu sei. Você já ouviu essa frase milhões de vezes. E não, não estou te tratando como criança. Desculpe se deu essa impressão.

Não adianta ficar bravo e dizer que você não tem mais idade para ouvir esse tipo de coisa. Isso não é bronca e nem tem nada a ver com a sua idade. Isso é apenas um toque da sua consciência falando com você por meio de uma coluna de jornal.

Como sua consciência, tenho observado você há muitos anos. Fazia tempo que eu queria falar com você, mas a oportunidade não aparecia. Estou feliz porque chegou a hora de pensar nas coisas que você já fez, para o bem e para o mal. E lembrar que você é responsável por elas.

As religiões adoram fazer o papel que estou fazendo, mas infelizmente elas atribuem ao comportamento humano um tipo de culpa totalmente desnecessário e polêmico demais para ser discutido aqui. Não quero que você se sinta culpado, não é essa a ideia. Quero que você se sinta responsável.

Quando a gente ouve a palavra ‘responsabilidade’, pensa logo que fez alguma coisa errada. Ou lembra de alguma coisa que não fez, mas que deveria ter feito. Isso tem a ver com responsabilidade, mas vamos com calma. As coisas boas que você faz também são responsabilidade sua. O jeito com que você trata sua família, a maneira como você se comporta no trabalho. Responsabilidades totalmente suas. O amor que você compartilha… só depende de você.

A sua personalidade existe e é exatamente desse jeito graças à atitude que você toma diante das situações.

Quando você era criança, sua família tomava as decisões por você. Era fácil, não? Você não precisava decidir se queria tomar banho antes do jantar. Você podia até odiar, mas não tinha nenhum poder de decisão sobre aquilo. No máximo, seu poder de decisão estava restrito às brincadeiras: quero brincar de esconde-esconde, quero andar de bicicleta.

Com o tempo, as decisões passaram a ser um pouco mais complexas. Lembra quando você não estudava, tirava zero na prova e levava bronca? Pois é. E lembra quando você colava na prova? Quando a professora não via, ótimo. Mas, quando via, você também tirava zero. E levava mais bronca ainda.

Ou seja, dependia de você. E olha que legal: você aprendeu a ser responsável por seus atos. Pois aqui vai um aviso: nada disso mudou.

No fundo, todo mundo sabe o que é certo e errado. Você pode até fazer algo errado, mas saiba que terá consequências. Mesmo as coisas certas têm consequências. O importante é saber que, para o bem ou para o mal, você é o responsável por seus atos.

Encontrou algum erro? Entre em contato