Já é Páscoa de novo

Estadão

22 Abril 2011 | 09h45

Nossa, já é Páscoa de novo. Cada ano que passa parece correr ainda mais rápido, como se o gargalo da ampulheta se alargasse e deixasse cair cada vez mais areia. Acho que é uma mistura da idade chegando com a rapidez da vida moderna. Ou então é porque nunca dá tempo de fazer tudo que a gente quer.

Um ano é um bom período de tempo para analisar como andam as coisas. Por exemplo, o que aconteceu na sua vida de um ano para cá? Pense na Páscoa de 2010: as coisas melhoraram ou pioraram desde então? Tomara que tenham melhorado. Até porque, se não melhoraram… a culpa é sua.

E a vida amorosa, como vai? Tomara que esteja tudo bem. Mas se, por acaso, o seu relacionamento está ruim há um ano… tudo leva a crer que ele vai continuar ruim. E que você vai sofrer mais um ano. Mude isso hoje, por favor. Só depende de você.

Um ano é suficiente para dar uma guinada na vida. Você tem pelo menos 365 chances para fazer isso. Não espere o meu post na Páscoa de 2012 para perceber que tudo poderia ser diferente desde agora.

Olhe para a pessoa que está ao seu lado. O que você fez por ela no último ano? Ou melhor, o que você fez por ‘vocês’? Talvez você não se lembre do número exato, mas quantas vezes vocês saíram para jantar de um ano para cá? Só isso? E aquele fim de semana a dois na praia, foram quantos? Na dúvida, divirta-se. A vida é muito curta. Só um parênteses: não é porque costumo falar aqui das coisas do coração que eu acho trabalho uma coisa menos importante. Por falar nisso, o que você apresentou de original ao seu chefe no último ano? Quantos projetos, novas idéias? Gente que se acomoda no trabalho é como gente que se acomoda no relacionamento: fica para trás.

Domingo de Páscoa é um bom dia para se pensar em uma nova vida. Faça como Jesus Cristo: ressuscite.