Todo leitor tem seus direitos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Todo leitor tem seus direitos

Este lançamento, de Patricia Auerbach e Odilon Moraes, tem a intenção declarada, diz a autora, de 'garantir aos leitores o direito de misturar fantasia e mundo real'

Bia Reis

18 Outubro 2017 | 06h00

Quando um educador começa a trabalhar com alguma atividade que envolva o incentivo à leitura, pode apostar que alguém vai lhe dizer: “Você conhece o livro Como Um Romance, de Daniel Pennac?”. Ao primeiro contato, há grandes chances deste educador – professor, bibliotecário, mediador, livreiro, autor, pai, mãe, avó, tio, etc – não largar dele nunca mais.

Neste livro, o autor francês, que era escritor e pedagogo, expõe suas batalhas diante de incentivar alguém a ler, mas nos deixa de legado a criação dos 10 Direitos Imprescritíveis do Leitor, como o direito de ler saltando páginas, de abandonar a leitura e também de não ler (desde que ele tenha tido, primeiro, o direito de escolher ler ou não determinado livro). Mas sempre fica o dilema quando estamos diante do pequeno leitor: como sensibilizá-lo desde a infância de que ser negado ao livro não é exatamente uma escolha ou um ato de liberdade?

Pois Patricia Auerbach e Odilon Moraes vão agora estar na nossa cabeceira, com o lançamento de Direitos do Pequeno Leitor, lançado pela Companhia das Letrinhas. A primeira ilustração nos causa um caminho poético: uma chave, daquelas antigas, de abrir portas especiais. À primeira dupla, um delicioso estranhamento:

 

Todo pequeno leitor tem o direito
De ser um herói

 

Mas quem aparece no desenho de Odilon é um menino de pirata. Pirata um herói? Duas duplas para frente e mais uma frase:

 

E decidir quando e como quer ler.

 

E vemos um menino na banheira com o livro na mão, bolhas de sabão em volta e um navio pirata de brinquedo.

 

As máximas do texto dialogam com referências históricas do livro ilustrado para a infância, como o menino Max, de Onde Vivem os Monstro, de Maurice Sendak, que, com a sua fantasia de lobo fica espiando uma certa menina de chapéu vermelho e cesta no braço. Uma menina também conversa com um coelho esperto e anda seguida por uma boneca e um sabugo de milho. Mas nada que se escreva aqui pode revelar o que costura em palavras e textos neste livro. Porque o leitor tem direito de entender como quiser: as referências podem ser novidades, as máximas podem ser descobertas, e o “final feliz” pode ser do jeito que ele quiser.

Como diz a autora Angela Lago na contracapa do livro: “Mais que uma declaração de direitos, temos um manifesto, uma comemoração, um viva à liberdade que existe no mundo dos pequenos grandes leitores”.

Uma festa, um convite.

Patricia e Odilon já estiveram muitas vezes por aqui. Patricia com O Jornal e O Lenço.  E Odilon, com RosaLá e Aqui, em parceria com Carolina Moreyra, e o HQ Mônica, de Mauricio de Sousa.

Serviço
Direitos do Pequeno Leitor
Autores: Patricia Auerbach e Odilon Moraes
Editora: Companhia das Letrinhas
Preço sugerido: R$ 37,90

(Bia Reis e Cristiane Rogerio)