Surpreenda-se com a nova edição de ‘Bambi’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Surpreenda-se com a nova edição de ‘Bambi’

Texto original de Felix Salten é menos ingênuo e mais profundo do que a versão que rodou o mundo com a Disney

Bia Reis

27 Janeiro 2016 | 09h41

Bambi

Assim como a grande maioria dos leitores, meu primeiro contato com Bambi, do escritor austríaco Felix Salten, foi por meio de um livro que trazia a versão da Disney. Nesta edição, da Coleção Beija Flor, da Editora Abril, que ainda guardo, as ilustrações são do próprio estúdio Disney. Lá estão Bambi e sua mãe, o coelho Tambor, Flor, a coruja, uma família de gambás, esquilos, pássaros…

Os desenhos desta edição foram retirados do filme, lançado pela Disney em 1942. São eles que estão não apenas no meu imaginário, mas provavelmente no de todos que foram crianças a partir de então.

Estante de Letrinhas no Facebook: Curta!
E também no Twitter: Siga!

Explico isso para contar que ler o texto original de Bambi – Uma História de Vida na Floresta, escrito em 1923, foi desafiador. Cadê Tambor? E Flor, a Coruja, a família de gambás? Eles simplesmente não existem.

Esta nova edição de Bambi foi publicada no fim do ano passado pela CosacNaify, que anunciou em dezembro o fim de suas atividades. Traduzido para o português por Christine Röhrig, o texto traz delicadas ilustrações de Nino Cais, que abrem cada um dos capítulos e recheiam a história.

FOTO: SERGIO CARVALHO

FOTO: SERJÃO CARVALHO (obrigada :o)

O belíssimo projeto gráfico, de Flávia Castanheira, faz referência direta aos desenhos que povoam nossas ideias – na parte interna da capa e da contracapa há uma composição de imagens com as famosas ilustrações. O livro tem um quê de antigo, com sua capa dura, em tecido, e impressão em serigrafia. Sob fundo verde estão as silhuetas de Bambi e outros animais.

Se o prazer estético da edição já não bastasse, me encantei com o tom menos ingênuo da versão original. Se por um lado os animais que ganharam peso com a Disney quase inexistem, por outro a relação de Bambi com a mãe e o distanciamento do pai são ainda mais fortes. Também parecem mais profundas as ligações do pequeno cervo com os outros de sua espécie, especialmente com Falina e Gobo. Se na versão Disney o caçador é logo descrito como uma ameaça, nesta versão o autor é mais sutil e faz referências a “Ele”. De um modo geral, tudo parece mais sombrio e doloroso nesta história em que animais conversam e se questionam sobre a vida.

FOTO: SERGIO CARVALHO

FOTO: SERJÃO CARVALHO

As passagens em que Salten narra a mudança das estações, com destalhes das plantas que recobrem a floresta e dos cheiros que elas exalam, são incríveis.

Ao redor do abrigo cresciam nogueiras, álamos, cerejeiras com suas frutinhas preto-lilás e um jovem sabugueiro. Altos pinheiros, cedros e carvalhos formavam uma cobertura verde sobre a mata. Do solo firme marrom-escuro brotavam samambaias, amoras silvestres e bétulas floridas. Bem rente ao chão, as folhas das violetas que já haviam florescido cresciam e os pés de morango e de amora que tinham acabado e iniciar a florada forravam a terra. A luz do sol se infiltrava na densa folhagem formando uma trama de ouro com seus raios. Toda a floresta ecoava com o alarido de muitas vozes, que soavam em alegre alvoroço. O bem-te-vi cantava animado, os pombos arrulhavam sem parar, os pintassilgos trilavam, as andorinhas voavam em piruetas, os sabiás gorjeavam. Em meio à algazarra era possível identificar o guincho ameaçador do gavião caçando o corvo, o grasnar galanteador da gralha-de-bico-vermelho eo gorgolejar do faisão. Às vezes, o estridular agudo do pica-pau se destacava na cantoria. O piado afiado e penetrante do falcão soava do alto das copas das árvores e a toda hora dava para ouvir o coro rouco dos corvos.

O pequeno veado-vermelho não entendia nenhum daqueles cantos e chamados e nem uma única palavra das conversas.”

E, de novo, me apaixonei por Bambi.

Serviço
Bambi – Uma História de Vida na Floresta
Escritor: Felix Salten
Tradução: Christine Röhrig
Ilustração: Nino Cais
Editora: CosacNaify
Preço: R$ 49,90 (no site da Cosac)