Stella Maris Rezende reforça aposta nos personagens femininos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Stella Maris Rezende reforça aposta nos personagens femininos

As meninas estão novamente no centro das histórias da premiadíssima escritora mineira

Bia Reis

12 Setembro 2014 | 14h03

A escritora Stella Maris Rezende tem uma predileção por personagens femininos, basta observar o nome de seus últimos livros publicados – todos premiadíssimos. A Mocinha do Mercado Central venceu o Prêmio Jabuti de 2012 em duas categorias: Livro do Ano de Ficção e Melhor Livro Juvenil. No mesmo ano, o segundo lugar na categoria Melhor Livro Juvenil também ficou com Stella Maris, com A Guardiã dos Segredos de Família. A Sobrinha do Poeta e As Gêmeas da Família receberam o selo Altamente Recomendável para Jovens, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) – e este último livro conquistou ainda o  prêmio de Melhor Livro Infantojuvenil de 2013 da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). E não para por aí. A lista é imensa.

Os dois mais recentes lançamentos da escritora, que nasceu em Dores de Indaiá, viveu muitos anos em Brasília e agora está no Rio de Janeiro, também contam a história de meninas. O primeiro deles, Missão Moleskine, com ilustrações de Adilson Farias, é para adolescentes. O segundo, A Poesia da Primeira Vez, ilustrado por Laurent Cardon, é para crianças – e para quem gosta de boa literatura.

Apesar da frequência de personagens femininos, Stella Maris conta que não há uma “prévia deliberação” em dar voz às meninas e às mulheres. “Acontece. Quando começo a reescrever o texto, e faço isso inúmeras vezes, constato essa forte presença feminina, o que acho muito bom, porque é natural na minha escrita e certamente é o resultado de minhas leituras, memórias e observações. Como disse Graciliano Ramos, ‘as nossas personagens são pedaços de nós mesmos’.”

A Poesia da Primeira Vez apresenta Pequenininha, uma menina de 7 anos que adora brincar de estátua. Ela parava, de repente, sempre que ouvia uma palavra nova pela primeira vez, independentemente de onde estivesse. Aconteceu quando alguém disse “aliás” e ela estava olhando a vitrine de uma loja, admirando uma boneca que a mãe jamais compraria para ela. Aconteceu também ao ouvir “fracassado” quando estava dentro do ônibus com o pai, esmagada entre bolsas. A menina virava estátua no supermercado e até na rua, quando voltava da escola com dois amigos que sempre faziam o trajeto com ela.

Num domingo, Pequenininha ouviu o pai comentar: “Só vou esperar a Pequenininha completar 8 anos. Em seguida vou embora desta casa”. O pai conversava com a mãe, e os dois achavam que a menina ainda dormia. Mas ela estava no corredor e escutou quando a mãe falou: “De certa forma, vai ser um refrigério pra mim”. “Refrigério” fez a garota virar estátua, com as mãos e o rosto encostados na parede.

A Poesia da Primeira Vez mostra o encanto da menina com a descoberta das palavras e da própria vida. É um encanto tão poético que paralisa. Mas a descoberta – das palavras e da vida – não traz apenas coisas boas ou fáceis. Traz desafios, obstáculos. A garota, que ganha o apelido por causa de sua estatura pequena, de frágil não tem nada. É esperta, atenta e forte, muito forte.

Stella Maris fala com a criança de maneira direta e honesta, sem didatismos nem desvios que adocem os fatos. Em meio à dor, Pequenininha descobre o valor da amizade. Pura poesia.

Os temas mais difíceis, relata Stella Maris, sempre aparecem em seus livros. “Jamais tenho medo deles. Literatura é linguagem. Qualquer assunto pode ser tratado ao se escrever para crianças e jovens. A vida não facilita. A vida tem coisas complicadíssimas. Por que a literatura facilitaria? Um bom texto literário pode conter qualquer assunto, por mais doloroso que seja. O mais importante é o modo de tratar o assunto. Com delicadeza e cuidado artístico, a literatura é exercício de liberdade e magia das palavras. Não subestimo a sensibilidade e a inteligência de crianças e jovens.”

Em seus desenhos, Laurent Cardon criou uma menina pequena, com um grande cabelo ruivo, espetado. Seus olhos de estátua percorrem as páginas que ora são mais claras ora mais escuras, conforme a trama avança.

Serviço
A Poesia da Primeira Vez
Escritora: Stella Maris Rezende
Ilustrador: Laurent Cardon
Editora: Globinho
Preço: R$ 36

Missão Moleskine
Escritora: Stella Maris Rezende
Ilustrador: Adilson Farias
Editora: Globo Livros
Preço: R$ 39,90

** Gostou? Compartilhe! Siga o blog Estante de Letrinhas no Facebook