Prêmio Barco a Vapor completa 10 anos no Brasil e anuncia vencedor
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Prêmio Barco a Vapor completa 10 anos no Brasil e anuncia vencedor

Premiação da Fundação SM foi criada na Espanha, em 1978, para estimular produção literária e revelar autores

Bia Reis

22 Setembro 2014 | 13h03

A Fundação SM anuncia nesta terça-feira, 23, o vencedor do Prêmio Barco a Vapor 2014 e comemora a 10.ª edição da premiação. Neste ano, quatro escritores são finalistas: Ana Carolina Carvalho, com A Conta-Gotas; Wanda S. Silly, com As Horas Tortas; Alan Roberto de Oliveira, com Meu Pai é o Rei do Congo; e Ana Helena Pinto do Amarante, com Normalópolis.

Para festejar o aniversário de 10 anos do Barco a Vapor, a homenagem será feita não a apenas um escritor infantojuvenil, como ocorre todos os anos, mas a toda literatura brasileira destinada a crianças e jovens. Serão resgatados a história e fatos marcantes das últimas cinco décadas. Também serão lembrados os autores que venceram as edições anteriores.

O Prêmio Barco a Vapor foi criado em 1978, na Espanha, para estimular a produção literária e revelar novos autores, e hoje está em todos países onde o grupo atua: Brasil, Chile, México, Argentina Porto Rico, República Dominicana, Colômbia e Peru, além da Espanha.

Na primeira fase do prêmio, os originais inscritos são submetidos a uma triagem feita por um grupo de escritores, professores e críticos. As obras escolhidas são, então, encaminhadas a um segundo júri, que, neste ano, foi composto por Fernando Paixão, poeta e professor do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (USP); Luiz Ruffato, jornalista e escritor; e Graziela Costa Pinto, psicóloga e editora do departamento de Literatura e Informativos das Edições SM.

Desde a primeira edição brasileira, o Prêmio Barco a Vapor já premiou Caio Riter, com O Rapaz que Não Era de Liverpool (2005); Glaucia Lewicki, com Era Mais Uma Vez Outra Vez (2006); Flávio Carneiro, com A Distância das Coisas (2007); Délcio Teobaldo, com Pivetim (2008); Mariângela Haddad, com O Sumiço da Pantufa (2009); Stella Maris Rezende, com A Guardiã dos Segredos de Família (2010); Thiago Irley, com O Coelho que Não Sabia Gates (2011); Marcílio Godoi, com A Inacreditável História do Diminuto Senhor Minúsculo (2012); e Isabela Noronha, com Adeus É Para Super-Heróis (2013).

O vencedor do 10.º Prêmio Barco a Vapor será conhecido na noite desta terça-feira, em festa em São Paulo. O premiado receberá R$ 30 mil de adiantamento de direitos autorais e terá seu texto publicado pela Coleção Barco a Vapor.

** Gostou? Compartilhe! Siga o blog Estante de Letrinhas no Facebook