Fundação Itaú Social distribui 3,6 milhões de livros gratuitamente
As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fundação Itaú Social distribui 3,6 milhões de livros gratuitamente

Campanha Leia Para Uma Criança – que traz este ano 'Poeminhas da Terra' e 'Selou e Maya' – tem a missão de estimular a participação ativa dos adultos no desenvolvimento das crianças

Bia Reis

01 Outubro 2016 | 15h34

leia-para-uma-crianca2016

Poeminhas da Terra, de Márcia Leite e Tatiana Móes, e Selou e Maya, de Lara Meana e María Pascual de la Torre, são os dois livros que a Fundação Itaú Social e o Banco Itaú distribuirão gratuitamente este ano na campanha Leia Para Uma Criança, que será lançada nesta terça-feira, 4, em todo o País. No total, serão entregues 3,6 milhões de exemplares das obras, que compõem a Coleção Itaú Criança. De 2010, quando a campanha foi criada, até o fim deste ano, a fundação terá oferecido mais de 48 milhões de livros, incluindo edições em braile e fonte ampliada (como as que ilustram este post).

Participar da campanha é simples: basta entrar no site www.itau.com.br/crianca partir do dia 4 e fazer o cadastro. Os livros serão enviados sem custo para o endereço indicado. Além das obras, adultos e crianças recebem um material da fundação sobre os benefícios da leitura.

Apesar de a distribuição de livros ser a face mais visíveis do Leia Para Uma Criança, a campanha vai além: tem a missão de incentivar os adultos a participarem de forma ativa no desenvolvimento das crianças, principalmente aquelas que estão na chamada primeira infância, que vai, em linhas gerais, da gestação até os 5 ou 6 anos.

Estante de Letrinhas no Facebook: Curta!
Também no Twitter: Siga!
E agora no Instagram: Acompanhe!

Antigamente não se dava muita atenção para os primeiros anos de vida da criança, mas hoje não restam dúvidas de que esta fase é fundamental para o desenvolvimento da criança e do ser humano que ela se tornará. O corpo cresce, o cérebro amadurece e os movimentos se tornam mais complexos. É um período de aprendizagem constante e de construção e fortalecimento de vínculos sociais e afetivos – da criança com outras crianças, com os pais e outros adultos e com o mundo que a cerca.

É neste processo de desenvolvimento e construção de vínculos que entram a brincadeira e a literatura. A leitura pode inclusive começar antes mesmo de a criança nascer, você sabia? Nos últimos anos, a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Pediatria passaram a recomendar que os pediatras conversem com os pais durante a consulta sobre hábitos de saúde, higiene e leitura. Falei sobre isso numa coluna Estante de Letrinhas para a Rádio Estadão. Se quiser ouvir, clique aqui.

A brincadeira e a leitura trazem nós, adultos, para o aqui e agora. Quando brincamos com as crianças ou lemos para elas, estamos inteiros naquele momento. Assim como não há segredo ou regras para brincar, também não há para ler. Você pode ler do jeito que quiser ou gostar – não tem certo o errado. Aproveite!

Sobre os livros da Coleção Itaú Criança

Os livros que integram a coleção passam por três fases de avaliação, em um processo que dura um ano. Segundo Cláudia Sintoni, coordenadora da área de Mobilização Social da Fundação Itaú Social, na primeira etapa são escolhidas 14 obras, com ajuda da organização A Cor da Letra. Depois, elas são enviadas para a primeira comissão de especialistas, que avaliam itens como qualidade do texto e da imagem (e da relação entre as duas linguagens), originalidade e inovação do projeto gráfico. Os livros seguem então para a segunda comissão.

“Sempre procuramos um autor brasileiro e outro estrangeiro e variamos tipo de texto, editora e temas. A variedade é importante para que se crie o gosto pela leitura”, conta Claúdia. “A leitura literária (ou seja, de literatura e não outros tipos de texto, como os informativos) possibilita a construção de vínculo, a vivência de outras experiências e estreita o vínculo afetivo. Traz palavras novas, um outro ritmo e uma estética diferente.”

Poeminhas da Terra é o primeiro livro inédito a entrar na coleção. Escrita por Márcia Leite e ilustrado por Tatiana Móes, a obra, da Editora Pulo do Gato, apresenta ao leitores o dia a dia e a infância nas comunidades indígenas, mostrando hábitos, brincadeiras e palavras. O texto é simples e as ilustrações, feitas com bico de pena e pintados em aquarela. Diferentemente da maioria dos livros, neste as páginas são viradas na vertical, o que possibilita uma experiência diferente de leitura. Márcia, escritora e editora, já esteve outras vezes nesta Estante de Letrinhas, com Pé-de-Bicho e muitos outros livros da Pulo do Gato.

O segundo livro é Maya e Selou, das espanholas Lara Meana e María Pascula de la Torre. A tradução é de Graziela R. S. Costa Pinto e a publicação, da SM. O livro conta a história de duas crianças vizinhas que passam o dia fantasiando. Selou se imagina galopando pela savana no lombo de um cavalo, comendo minhocas caçadas por um pássaro e domando elefantes circo. Maya sonha em ordenhar uma vaca no sítio da avó, morar no alto de um edifício em Nova York e viajar para a Índia num elefante vermelho. As ilustrações são delicadas e imaginativas e o projeto gráfico interessantíssimo. O livro pode ser aberto pela capa ou pela contracapa – e cada entrada abre as portas para a história de uma das crianças.