As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sobre rodinhas

Redação Divirta-se

25 Outubro 2012 | 15h52

Patinamos por aí e descobrimos os melhores (e também os piores) asfaltos da cidade para você por os pezinhos para fora (do carro) e deslizar por aí 

Werther Santana/Estadão
patins_600.jpeg

São Paulo obedece a lógica dos carros. Por isso, quem escolhe se locomover por aí de outro jeito acaba encontrando dificuldades (e riscos) pelo caminho. Mas o Divirta-se não quer saber de desânimo. Aproveitamos os dias de temperaturas amenas (e árvores floridas) para patinar pela cidade e achar os melhores locais para você descobrir o patinador – ou skatista – que há dentro de você. E nem pense em apelar para a falta de preparo ou a idade avançada. Há aulas para iniciantes nas duas modalidades, frequentadas até por alunos com mais de 60 anos. Radical! Luiza Wolf

Entre Muros


Fotos: Luiza Wolf/Estadão
ibirapuera_site

O Parque do Ibirapuera é muito popular entre patinadores e skatistas – e grande parte da fama vem da Marquise, que tem o piso lisinho. Como parte dela ainda está sendo restaurada, a ladeira próxima ao Pavilhão da Bienal (foto acima) tornou-se a área mais disputada. Mas tome cuidado ao passear pelo parque: o asfalto nas imediações do Museu Afro Brasil está bem áspero. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, 5574-5505.

villa_lobos_site

O Parque Villa-Lobos tem uma área dedicada a patins e skates, em frente à portaria principal. Ali, o asfalto é mais liso,
e tem até obstáculos para os patinadores mais experientes. Mas, se você é iniciante, evite frequentar o parque nos fins de semana, quando o tráfego de rodinhas é muito intenso. Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2.001, Alto de Pinheiros, 3023-0316.

bicicletas_site

Como é agradável patinar pelo Parque das Bicicletas! Tranquilo, o local convida os visitantes a deslizarem pelas suas ruas bem asfaltadas, sob a sombra das árvores. É uma pena que quase metade do espaço esteja ocupado pelas obras da linha 5 do metrô – que só deve ser entregue em 2015. Ainda assim, vale a visita. Al. Iraé, 35, Moema, 3396-6543. 

parque_da_independencia_site

O Quintal do Ipiranga é conhecido como a ladeira do Parque da Independência, usada para a prática do skate. Mas também é aobriga uma associação de skatistas do bairro, que surgiu para protestar contra a lei que proibiria o esporte na cidade, em 1988. É o lugar ideal para quem quer aprender a andar de skate e conhecer sua história. Av Nazareth, s/nº, Ipiranga, 2273-7250. 

parque_do_povo_site

É proibido andar de skate e patins dentro do Parque do Povo. Por isso, há uma pista dedicada aos esportes na lateral do parque. Mas o Divirta-se encontrou um asfalto trincado e uma lombada repleta de rachaduras. Apesar de não ter ignorado as rodinhas, o lugar parece ter esquecido que elas precisam deslizar. Av. Henrique Chamma, 420, Itaim, 3073-1217. 

Mais Emoção

barriga_site

A Rua Eduardo Vicente Nasser, no Tremembé, tem uma ladeira apetitosa para os skatistas. Conhecida como Barriga da Velha, ela estava abandonada, foi recapeada há pouco tempo e hoje recebe eventos. Mas tome cuidado: ali, é preciso brigar por espaço com os automóveis.

São Bernardo tem uma ótima pista para skate e patins, mas é rigorosa com as regras: para usar o Parque Radical é preciso usar capacete, e menores de idade tem de levar autorização dos responsáveis. Av. Armando Ítalo Setti, 65, Centro, São Bernardo, 4121-2622. 9h/22h (fecha dom., 2ª e 3ª). 

Para Começar

Não tenha medo de patinar. Julio Gutierrez ensina iniciantes (R$ 70, por aula) no Parque do Ibirapuera. A idade mínima para participar é seis anos – mas Gutierrez tem alunos de 62! Agendamento: 998-063-635. 

Irineu Junior, conhecido como Juneca, ensina skate para iniciantes (R$ 15, por aula) na pista da Urgh Tent Venthouse. A idade mínima é quatro anos. R. Coronel Fernando Prestes, 450, Santo André, 997-025-806.