Nos 120 anos de Di Cavalcanti, Pinacoteca recebe retrospectiva do modernista
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Nos 120 anos de Di Cavalcanti, Pinacoteca recebe retrospectiva do modernista

Júlia Corrêa

31 Agosto 2017 | 16h16

Considerada uma das principais mostras a ocupar a Pinacoteca este ano, No Subúrbio da Modernidade – Di Cavalcanti 120 Anos propõe uma retrospectiva do artista nascido no Rio de Janeiro, que foi um dos ícones do modernismo brasileiro.

Com mais de 200 pinturas, desenhos e ilustrações, pertencentes a coleções públicas e particulares, a exposição engloba seis décadas da produção de Di (1897-1976). Trata-se da maior mostra realizada desde 1971, quando ele teve suas obras exibidas no MAM. Distribuído em ordem não cronológica ao longo de sete salas do primeiro andar do museu, o conjunto revela a trajetória multifacetada do artista.

‘Carnaval’, de 1952/Coleção Particular/Foto: Ariel From

Segundo o curador José Augusto Ribeiro, o título da exposição abarca um sentido literal e simbólico. Ao mesmo tempo que se interessava pela diversidade de um Brasil em modernização – com retratos de figuras típicas do subúrbio, como travestis e prostitutas –, Di queria chamar atenção para o atraso do Brasil em relação à Europa.

Para Ribeiro, entretanto, sua proposta não era exaltar o progresso. “Nas obras dele, o trabalhador aparece muitas vezes descansando, algo diferente, por exemplo, da postura heroica retratada por Portinari.”

Além de tal liberdade moral, o curador destaca a liberdade formal do artista, que vinha, em boa parte, de seu exercício profissional com ilustrações de revistas, livros e capas de discos. Aliás, há uma seção da mostra dedicada especialmente a esses trabalhos.

Há um aspecto, contudo, que se mantém ao longo de sua produção. Mesmo sob a influência de nomes como Picasso e Braque, com cujos movimentos entrou em contato em suas viagens à Europa, Di resistia ao uso da abstração. “Ele não abria mão de figurar uma identidade brasileira”, explica o curador.

ONDE: Pinacoteca. Pça. da Luz, 2, Luz, 3324-1000. QUANDO: Inauguração: sáb. (2), 11h. 10h/17h30 (fecha 3ª). Até 22/1/2018. QUANTO: R$ 6 (sáb., grátis).

CONFIRA OUTRAS DICAS DO ROTEIRO DE EXPOSIÇÕES

Das Mãos e do Barro
Com curadoria de Aracy Amaral, a mostra reúne três ceramistas paraguaias: Julia Isídrez, Ediltrudis Noguera (e Carolina Noguera. São 114 obras feitas com a técnica ancestral. Galeria e Anexo Millan. R. Fradique Coutinho, 1.360 e 1.416, V. Madalena, 3031-6007. Inauguração: sáb. (2), 12h/16h. 10h/19h (sáb., 11h/18h; fecha dom.). Grátis. Até 30/9.

Iván Argote
‘Somos’ reúne vídeos, fotografias e esculturas do colombiano, cuja obra explora a relação das pessoas com o meio ambiente e também com a história e a política. Vermelho. R. Minas Gerais, 350, Higienópolis, 3138-1520. Inauguração: 4ª (6). 10h/19h (sáb., 11h/17h; fecha dom. e 2ª). Grátis. Até 7/10.

Renato Russo
Com pré-estreia nesta 4ª (6), a mostra reúne fotos, objetos e documentos ligados ao músico. Na 5ª (7), tem programação especial, como um karaokê com canções da Legião Urbana (ingressos somente no local). MIS. Av. Europa, 158, Jd. Europa, 2117-4777. 10h/21h (dom. e fer., 9h/19h; fecha 2ª). R$ 30 (6/9, R$ 80). Até 28/1/2018. Inf.: bit.ly/renrusso

Bienalsur
O evento traz a São Paulo ‘El Mundo Cabe en una Obra’. Com curadoria de Jimena Ferreiro de Pella, a mostra reúne obras, em diferentes suportes, de nomes como Ana Gallardo e Mariana Ferrari. Memorial da América Latina. Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, 3823-4600. Inauguração: 2ª (4). 9h/18h (fecha 2ª). Grátis. Até 31/12.

Francisco Rosa
Em ‘Endoexorama’, o artista mineiro apresenta 14 esculturas inéditas, feitas com fio de cobre, alumínio e arame. Luis Maluf Art Gallery. R. Peixoto Gomide, 1.887, Jd. Paulista, 2367-3437. Inauguração: hoje (1º). 11h/20h (sáb., até 18h; fecha dom.). Grátis. Até 31/9.

Agora Somos Todxs Negrxs?
Com curadoria de Daniel Lima, a mostra reúne artistas negros cujas obras discutem questões raciais e de gênero. Entre eles, Ana Lira e Paulo Nazareth. Galpão VB. Av. Imperatriz Leopoldina, 1.150, V. Leopoldina, 3645-0516. Inauguração: 6ª (1º). 12h/18h (fecha dom. e 2ª). Grátis. Até 16/12.

Paço das Artes
A instituição leva duas mostras ao MIS. ‘Inscriptura’ reúne vídeos, telas e instalações de Cristina Elias, que investiga o conceito de feminino. ‘Laboratório Gráfico Desviante’ reúne materiais gráficos de um grupo formado por nomes como Bruno Mendonça e Júlia Ayerbe. Av. Europa, 158, Jd. Europa, 2117-4777. Inauguração: 4ª (6). 12h/20h (dom. e fer., 11h/19h; fecha 2º). Grátis. Até 8/10.

Francisco Hurtz
‘Corpo Capital’ reúne desenhos em que o artista desvela temas políticos ligados ao corpo masculino. Galeria Tato. R. Fradique Coutinho, 1.399, V. Madalena, 2389-1399. Inauguração: 2ª (4). 11h/19h (fecha dom.). Grátis. Até 30/9.