Inspire-se no clima da Copa 2018 e visite os estádios de SP mesmo sem jogo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inspire-se no clima da Copa 2018 e visite os estádios de SP mesmo sem jogo

Lucineia Nunes

30 Novembro 2017 | 15h59

Atualizado em 18/05/2018

Que tal percorrer os bastidores de um estádio de futebol, conhecer o vestiário do time e ainda entrar em campo pelo mesmo corredor por onde passam os jogadores? A experiência – emocionante para qualquer torcedor – é uma das atrações nos estádios dos grandes clubes paulistanos.

Entrando no clima da Copa do Mundo, você não precisa frequentar os campos apenas em dias de jogo. Nas arenas, um time de anfitriões conduz visitas guiadas, narra histórias e curiosidades sobre os espaços e, principalmente, sobre as vitórias dos clubes. Alguns estádios ainda contam com restaurantes, museus, lojas de artigos esportivos e atividades especiais, como tours acompanhados por jogadores.

O túnel de entrada no campo da Arena Corinthians, estádio que sediou os jogos de São Paulo durante a última Copa. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Arena Corinthians

O palco paulistano da Copa de 2014 oferece o tour Casa do Povo, que já recebeu mais de 34 mil visitantes (50% vindos de outros Estados) desde a estreia do passeio no ano passado. O trajeto dura cerca de uma hora e começa no átrio, onde foi instalado um escudo gigante do Corinthians, feito de aço. Ali também fica o Museu do Povo, que exibe troféus e objetos doados por torcedores.

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Com acessibilidade em todas as áreas, o tour segue para o Business Lounge, um espaço vip, com serviço de bufê nos dias de jogos e que pode ser alugado para eventos. O clube, inclusive, conta com o projeto Prometo Ser Fiel, com vestiário para os noivos, cerimônia no átrio e festa no lounge. O passeio continua pelos camarotes, sala de imprensa, vestiários, sala de aquecimento e, claro, pelo campo.

Os ingressos são vendidos pelo site e na bilheteria do portão A. E os dias e horários das atividades variam sempre conforme a agenda do estádio. A Arena Corinthians também abriga a megaloja Poderoso Timão.

Av. Miguel Ignácio Curi, 111, Itaquera, 3152-4099. R$ 40/R$ 60. Inf.: arenacorinthians.com.br

:: 15 bares e passeios em São Paulo para se preparar para a Copa do Mundo ::

Morumbi

Palco de partidas emblemáticas e de shows históricos – entre os quais de Madonna, Michael Jackson, Paul McCartney e U2 –, o Estádio Cícero Pompeu de Toledo, conhecido como Estádio do Morumbi, foi fundado em 2 de outubro de 1960. O tour por suas dependências dura cerca de uma hora e começa pelo Memorial de Conquistas, uma sala lotada de troféus, que ajudam a contar a história e as vitórias do São Paulo.

O Cícero Pompeu de Toledo oferece passeios guiados pelo estádio, além do evento anual Vou Jogar no Morumbi. Foto: Morumbi Tour

O passeio continua rumo aos bastidores, sala de imprensa, vestiário, túnel e, finalmente, o campo. Outra atividade promovida no estádio é o Batismo Tricolor (R$ 148). A cerimônia ocorre no camarote com direito a padrinho e certificado ao são-paulino. Os torcedores também podem realizar o sonho de jogar futebol ao lado de um ídolo clube: o evento Vou Jogar no Morumbi geralmente acontece no final do ano, após o término da temporada regular. Mais informações pelo telefone 3739-5222.

O uruguaio Diego Lugano, ídolo do São Paulo com experiência em Copas do Mundo, durante partida do programa Vou Jogar no Morumbi. Foto: Leandro Martins

São três pacotes (a partir de R$ 1.500), em que o visitante vira um jogador do elenco: ganha uniforme do São Paulo, usa o vestiário, entra pelo túnel oficial e joga dois tempos de 20 minutos.

Pça. Roberto Gomes Pedrosa, 1, portão 2, Morumbi, 3739-5222. R$ 40. Inf.: morumbitour.com.br

Bares e restaurantes

+ Dentro do Estádio do Morumbi há um bar de pôquer, o Pub Sports Bar (tel.: 5049-0733), e dois restaurantes, o By Koji (tel.: 3624-7710; foto), de cozinha japonesa, e o Amani (tel.: 3476-2146), especializado em comida libanesa. As três casas são abertas a qualquer visitante – exceto em dias de shows e jogos, quando trabalham com pacotes especiais para torcedores.

Vista do restaurante By Koji, dentro do estádio do Morumbi. Foto: Rubens Chiri

Pacaembu

Cartão-postal e ponto turístico de São Paulo, o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, foi inaugurado em 27 de abril de 1940. O que muitos não sabem é que o estádio tem um clube esportivo aberto – e gratuito – a qualquer morador do município.

O tradicional portão principal do Pacaembu, até hoje um dos estádios mais queridos pelo público paulistano. Foto: JF Diório/Estadão

A estrutura inclui piscina olímpica aquecida, com arquibancada para 2.500 pessoas, ginásios poliesportivos, quadras de tênis, sala de ginástica e três pistas de corrida. Também é possível concorrer a uma vaga para as aulas de pilates e natação, por exemplo.

Para ter acesso ao clube e às atividades é preciso se associar. Basta ir à secretaria (2ª a 6ª, 9h/12h e 13h/16h45), levando cópias do RG e do comprovante de residência e uma foto 2 x 2. Quem quiser conhecer apenas o campo, o acesso é livre pelo portão principal, de 3ª a domingo, das 9h às 17h.

Vista da piscina do estádio do Pacaembu. Foto: JF Diório/Estadão

Para completar o passeio, há uma loja de artigos esportivos, o simpático Flor Café e o Museu do Futebol. A praça também abriga uma das feiras livres mais populares da cidade, às terças, quintas, sextas e aos sábados.

Pça. Charles Miller, s/nº, Pacaembu, São Paulo, 3664-4650. 6h/22h (dom. e fer., 6h/18h).

Museu do Futebol

+ Construído embaixo da arquibancada do Pacaembu, o Museu do Futebol resgata a história do esporte por meio de objetos, imagens, personagens e narrações. O percurso, totalmente interativo, é formado por 15 salas. No espaço, há ainda uma biblioteca. Pça. Charles Miller, s/nº, Pacaembu, 3664-3848. 9h/16h (sáb., dom. e fer., 10h/17h; fecha 2ª). R$ 10 (sáb., grátis).

O Museu do Futebol apresenta diversos conteúdos sobre a história da Copa do Mundo. Foto: JF Diório/Estadão

Allianz Parque

Em 1902, foi realizada a primeira partida por competições oficiais do futebol brasileiro no estádio palmeirense. De lá para cá, muita bola rolou nesse campo. O estádio foi reformado e rebatizado como Allianz Parque em 2014.

Além de jogos de futebol, o Allianz Parque recebe também eventos e megashows. Foto: Leonardo Benassatto

Pedidos de casamento, torcedores que quiseram comer a grama do campo e até orações com água benta estão entre as histórias que Bárbara Redigolo acumula desde o lançamento do tour, em 2015. Ela é um dos profissionais que conduzem grupos de até 70 pessoas pelas dependências do estádio.

O passeio – com duração média de 1h30 e acessibilidade em todas as áreas – vai até o ponto mais alto da arquibancada, passando por camarotes, sala de imprensa, vestiário do Palmeiras e a tão esperada entrada em campo, com direito a sentar no banco dos reservas.

O vestiário do Palmeiras é apresentado aos visitantes durante os tours pelo estádio do clube. Foto: Lucinéia Nunes/Estadão

Há ainda tours especiais que ocorrem durante o ano. Novidade, o Tour Radical inclui também uma descida de rapel até o campo. As próximas datas (e os valores) da aventura serão divulgadas em breve pelo site. Já no Tour com Pênalti, que ocorre antes da troca do gramado, o visitante entra em campo, bate o pênalti e leva para casa um pedaço da grama.

O Allianz Parque também funciona como espaço de eventos e megashows. Neste ano, já recebeu artistas como Katy Perry e Radiohead. Até o final de 2018, vão se apresentar nomes como Andrea Bocelli (29/09), Roger Waters (09 e 10/10) e Shakira (21/10). O estádio alviverde conta ainda com loja oficial do Palmeiras e um recém-aberto restaurante japonês (leia abaixo).

R. Palestra Itália, 200, portão A, Perdizes, 4003-1212. R$ 55/R$ 70. Inf.: allianzparqueexperience.com.br

Cantina Palestra

+ Localizada na Casa do Eletricista, em frente ao Allianz Parque, a Cantina Palestra é um prato cheio para os palmeirenses. A história do clube, camisas penduradas e imagens de jogadores que viraram ídolos da torcida decoram os ambientes e as paredes do restaurante – que é uma parceria entre a Sociedade Esportiva Palmeiras e a Sportfood Licenciamento e Franchising.

Foto: Lucinéia Nunes

No cardápio, predominam receitas italianas. Feitos ali, massas e molhos também são vendidos para viagem, em embalagens que resgatam momentos históricos do time. Entre as pedidas, há Gnocchi de Mandioquinha 1926 (R$ 37) e Parmegiana Robertão 1967/69 (R$ 44). Para acompanhar, peça a cerveja da casa, a Heroica 1942 (R$ 22,90).

Foto: Lucinéia Nunes

Durante a semana, o almoço executivo custa R$ 39,90, com entrada, prato e sobremesa. As sobremesas também são atração à parte, como o Pudim Palestra Itália (R$ 18; foto), uma panna cotta no formato do
Allianz Parque com creme de pistache. Av. Francisco Matarazzo, 1.752, Água Branca, 2628-3599. 11h30/15h30 e 18h30/23h (sáb. e dom., 11h30/23h).

Foto: Lucinéia Nunes

Nagairô by GSH

+ Com uma vista privilegiada do campo, o recém-aberto Nagairô by GSH atende tanto clientes externos quanto torcedores em dias de partida (com pacotes especiais). A casa tem cardápio à la carte e também a opção de rodízio (R$ 84,90/R$ 109,90), com pratos como temaki, sushis, tempurá e teppan, por exemplo. Já o ‘Omakase’, o menu-degustação japonês, sai por R$ 179,90 – ou R$ 289,90, harmonizado com saquê. Av. Francisco Matarazzo, 1.705, Água Branca, 4800-6790. 12h/23h (fecha 2ª).