As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Rooney Mara e Cate Blanchett vivem romance em ‘Carol’

Rafael Sousa Muniz de Abreu

14 Janeiro 2016 | 16h51

 

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

‘Não Estou Lá’ (2007) mostrava um Todd Haynes mais ousado que o que se vê em Carol. Após uma obra de episódios em que aspectos da personalidade de Bob Dylan eram canalizados por diferentes personagens, o cineasta volta com um drama de narrativa mais trivial e hollywoodiana.

Adaptação de ‘O Preço do Sal’ (1952), livro da americana Patricia Highsmith, ‘Carol’ tem, ainda, o respaldo da Academia: premiado em Cannes, acaba de ser indicado a seis prêmios do Oscar de 2016 (apesar de ter sido esnobado no Globo de Ouro).

A história de um romance lésbico na Nova York dos anos 1950 é interpretada por Rooney Mara e Cate Blanchett, indicadas ao Oscar de melhor atriz coadjuvante e melhor atriz, respectivamente. Mara é Therese, desanimada atendente de uma loja, que vive um relacionamento morno com o namorado, Richard (Jake Lacy). Blanchett interpreta Carol, uma madame que conhece Therese ao visitar a loja para comprar um presente para sua filha. A atração entre as duas é instantânea, mas, além do preconceito, elas precisam superar outro obstáculo: Carol está se divorciando de Harge (Kyle Chandler), e paira incerta a questão da guarda da filha.

Melancólica, a trama é explorada por uma fotografia sombria, cuidadosa direção de arte, além de uma série de sutilezas de interpretação. Pressionadas pelo conservadorismo da época, Therese e Carol vivem um romance forte, porém velado. Adjetivos que também serviriam para qualificar as atuações das duas protagonistas.