Um ano depois

Sonia Racy

25 Outubro 2016 | 01h00

Executivos da Samarco iniciaram périplo por Brasília para tentar retomar as atividades da mineradora, paralisadas em novembro de 2015, quando rompeu a barragem de Fundão, matando 17 pessoas.
Roberto Carvalho, presidente da empresa, tem dito por lá que entrou com pedido de novo licenciamento ambiental. E que a primeira audiência pública a respeito acontece a 21 de novembro.

Um ano 2

Maury de Souza Junior, diretor de projetos da Samarco, tem admitido que o início do período de chuvas preocupa.

Há 25 milhões de toneladas de rejeitos espalhados ao longo do Rio Doce, que podem ser levados de volta ao leito e comprometer a qualidade da água que abastece milhões de pessoas em MG e ES.


Passado um ano, a empresa só conseguiu recolher 3 milhões de toneladas.