Tiroteio

Sonia Racy

24 Outubro 2012 | 01h05

Boatos, ontem, davam conta de que Alckmin estaria, assim, algo aborrecido com a atuação de Antônio Ferreira Pinto, por causa do aumento de mortes de PMs no Estado desde junho. “Isso seria a euforia dos corruptos”, desabafou à coluna o secretário de Segurança Pública.

Ele admite, sim, o crescimento em consequência do aperto ao tráfico. Mas informa que, das 84 mortes de PMs alardeadas, houve 33 execuções. “Um número ruim, concordo. Mas já prendemos 55 autores de crimes, 17 morreram em confronto e 7 estão foragidos.”

Ferreira Pinto, entretanto, avisa: seu cargo – de confiança – está à disposição do governador.