Tá russo, mano?

Sonia Racy

04 Outubro 2012 | 01h09

A queda abrupta nas pesquisas não abalou Celso Russomanno. “Vamos para o segundo turno das eleições em São Paulo”, disse ele à coluna, anteontem à noite, durante jantar fechado no Shintori, organizado pelas promoters Rosana Benie Bel Costa.

Para 120 amigos do candidato, como Osmar Santos, Marcelo Negrão, Mylla Christie, Monsieur Gilbert, Claudio Cury, Gustavo Rosa e Malcolm Montgomery – o ginecologista preparara um show, mas foi impedido de cantar pela organização da campanha.

Tá russo 2

A avaliação do candidato do PRB é que a desidratação de sua candidatura não será suficientemente veloz. Mas o que provocou essa queda profunda e repentina? “Não é fácil ser o centro de ataque de sete candidatos, ainda mais com o Haddad mentindo”, bateu Russomanno, convicto de que será o próximo prefeito da capital paulista.

Já montou equipe? “Tudo a seu tempo.”

Tá russo 3

Domingo, na Vai-Vai, Darly Silva, presidente da escola, anunciou apoio a Russomanno – que não estava presente. Tomou longa vaia.

Uma semana antes, a direção da escola havia recebido Ana Estela, mulher de Haddad.