FHC analisa quem venceu com a vitória de Doria

Sonia Racy

04 Outubro 2016 | 00h30

Houve surpresa nessas eleições? “Surpresa, se é que foi surpresa, foi o tamanho do ‘esfarinhamento’ eleitoral do PT,” frisou ontem Fernando Henrique Cardoso, em conversa rápida, ressaltando que a boa nova deste pleito “foi a expansão do PSDB no Brasil, especialmente em São Paulo– capital e Estado”.

Sobre a vitória de João Doria, FHC – lembrando não ter apoiado o candidato de Alckmin – ressaltou: “Como eu disse ao Dória antes das eleições, é certo que o apoio dos políticos conta muito para armar as candidaturas. Mas para a vitória, conta o desempenho. Ganhar no primeiro turno é sempre uma vitória pessoal, embora beneficie o partido”.

A avaliação do ex-presidente mostra o quão importante ele considera o esforço pessoal que o novo prefeito de SP fez para vencer o pleito. Não houve menção a Alckmin.

A que altura da corrida eleitoral Geraldo Alckmin percebeu que seu escolhido, João Doria, seria vitorioso? “O segredo está na realização de prévias eleitorais”, desconversou ontem o governador paulista. O governador admitiu, entretanto, que a meta era a de conseguir passar para o segundo turno. “Foi melhor.”