Silêncio

Sonia Racy

07 Maio 2015 | 01h02

Em encontro organizado, ontem, por Rosangela Lyra, Lilian Tintori, mulher do opositor venezuelano Leopoldo López– cuja vinda foi antecipada por esta coluna–, recusou pedido do Movimento Brasil Livre.

Queriam que ela gravasse convocação para o ato que farão dia 27 em Brasília. A ativista disse temer represálias do governo de Nicolás Maduro.

O MBL defende que o Brasil conceda asilo político ao líder do partido Vontade Popular, que está preso há mais de um ano, acusado de incitar atos contra o presidente da Venezuela.