Senador defende vaquejada e critica o STF

Sonia Racy

13 Outubro 2016 | 16h20

A decisão do STF que considerou inconstitucional a lei cearense que regulamentava a vaquejada, na semana passada, deixou desconsolado o senador Temário Mota, de Rondônia. Para ele, a sentença é “discriminatória” e revela a “perseguição à cultura dos sertanejos”. É uma manifestação cultural, disse ele, em seu discurso em plenário, que “gera cerca de 600 mil empregos diretos e indiretos e movimenta R$ 14 milhões em mais de 700 eventos anuais”.

O senador reclamou que “não se fala nada” sobre os maus tratos praticados contra lo cavalo, que participa em provas de hipismo, turfe e polo.