Sem perder tempo

Sonia Racy

26 Janeiro 2016 | 00h57

Ao viajar para Davos, semana passada, Mauricio Macri apresentou seus bilhetes, de classe econômica, no balcão da Air France – que no ato lhe ofereceu, sem custos, um lugar na primeira classe. O presidente argentino recusou.

Motivo? “No voo preciso fazer várias reuniões com os assessores, aqui à minha volta”, explicou Macri.