Relatórios internacionais demonstram disparidade das previsões econômicas

Sonia Racy

01 Março 2018 | 00h55

Dois relatórios internacionais distribuídos ontem no mercado – um do Morgan Stanley e outro do Crédit Suisse – provam quão longe estamos de previsões econômicas coincidentes.

O MS, por exemplo, aposta que a bolsa brasileira vai chegar a 95 mil pontos de meados de 2019 para frente, influenciada pelas eleições. As perspectivas para o mercado de ações são positivas.

Já o CS se mostra pessimista, impactado principalmente pelo fracasso em aprovar a reforma de Previdência.

Leia mais notas da coluna:

Petistas não creem que STJ dará habeas corpus a Lula

Abilio Diniz sobre BRF: decisões só na hora adequada