Questão de timing

Sonia Racy

19 Setembro 2014 | 01h09

Depois que Beto Albuquerque avançou o sinal, dizendo que “ninguém governa sem o PMDB” – em entrevista ao Estado, quarta-feira –, tem gente do PSB e da Rede repensando o ritmo das alianças. Uns acreditam que o processo deve se acelerar porque, passado o primeiro turno, “o deputado eleito só vai querer saber de descanso”.

Outros, de perfil bem mais conservador, preferem pisar menos no acelerador: “É uma coisa delicada, temos que prestigiar os nossos”.