Quatro ministros do STF tinham passagens aéreas marcadas

Sonia Racy

24 Março 2018 | 00h40

MARCO AURÉLIO MELLO

MARCO AURÉLIO MELLO. FOTO: CARLOS HUMBERTO/STF

Ao que apurou a coluna, havia quatro ministros do Supremo com passagens aéreas marcadas, na quinta-feira à noite, e interessados em que a sessão terminasse o mais cedo possível.

Marco Aurélio Mello acabou criticado, e “pagando o pato” sozinho, por ter sido o único da corte a tornar isso público.

Leia mais notas da coluna:

Advogados querem suspensão de prisões em 2ª instância até julgamento de ações

Interrompido, Fux abre espaço para ‘intervenções’ dos colegas