‘No meu bloco, prego o amor e o respeito ao próximo’, diz Preta Gil

‘No meu bloco, prego o amor e o respeito ao próximo’, diz Preta Gil

Sonia Racy

08 Fevereiro 2018 | 01h00

Fotos: Alex Santana

Novidade no Expresso 2222, que abriu suas portas ontem em Salvador. Além da titular, Preta Gil, a balada Blacktape. “Um espaço dedicado à diversidade”, diz a cantora. Já o Bloco da Preta sai sábado, também na capital baiana. Vamos à conversa com a coluna.

O que esperar do Expresso 2222 sob seu comando?
Esquecer dos problemas, conhecer gente nova, fazer amigos, estar no melhor ponto de Salvador.

Trará novidades?
Mantive a tradição. O Expresso já sabe como receber bem seus foliões. O que fiz foi um projeto paralelo e independente do camarote: montamos a boate Blacktape, em outro andar. Vai abrir amanhã com show de Pabllo Vittar.

Já pensou em trazer o Bloco da Preta para São Paulo?
Meu sonho. Uma hora a gente sai. O namoro dos paulistas com o bloco é antigo.

Seu pai será homenageado pelo samba enredo da Vai Vai. Você estará no Anhembi?
Só em vibração, fisicamente não. Nosso bloco sai no Rio e em Salvador, cantarei em quatro camarotes na Sapucaí, me apresento em Florianópolis, faço um baile e uma feijoada no Rio. Desejo toda sorte a escola.

Como faz para manter corpo são e mente sã com essa agenda tão agitada?
Procuro ter por perto quem eu amo. Cuido da voz, faço massagens, alinhamento energético e tento dormir – esta é a parte mais difícil quando estou cercada de festa, euforia e muita energia.

Em blocos de SP, muitas mulheres colam adesivos com frases feministas, como “Não é não”. Apesar de carnaval ser época de azaração, acha que as pessoas estão mais conscientes?
O despertar da consciência está batendo na porta da humanidade, não é fácil. Parece que quanto mais estamos perto da luz, a sombra aumenta. O carnaval sempre foi símbolo de liberdade, transgressão e palco das mudanças da sociedade. Dá pra ser feliz sem tirar o direito do outro de também ser feliz. No meu bloco, prego o amor e o respeito ao próximo. Achei lindo um folião dizer que no Bloco da Preta ele se sente seguro e em paz. /SOFIA PATSCH