Pela ordem

Sonia Racy

03 Setembro 2014 | 01h02

A OAB-SP pedirá à Comissão da Verdade da Alesp que apure perseguição do regime militar à escritora de livros eróticos Cassandra Rios. Como a autora não era advogada, o caso não é de competência da entidade.

“Ela foi ícone da comunidade gay e sofreu a repressão da ditadura”, diz Martim de Almeida Sampaio, que integra a Comissão da Verdade da OAB.