Para ontem

Sonia Racy

28 Março 2015 | 01h10

No atual mar de incertezas, em que a Petrobrás não tem condições de contratar nada nem ninguém, algumas empreiteiras da Lava Jato ainda sonham com dias melhores.

O que elas querem? Que a Petrobrás estenda o curto prazo (até 24 de abril) para entrega de propostas ao Gasoduto Maricá-Comperj – parte de um complexo de dutos orçado em US$ 500 milhões.

É que, na condição de rés do processo, não têm como se programar e concorrer.