Onda a favor

Sonia Racy

13 Maio 2015 | 01h10

Jaques Wagner, e com ele a Marinha brasileira, respiraram aliviados, ontem. Em encontro com seu colega francês Jean-Ives Drian, o ministro da Defesa de Dilma foi informado de que a França aceita mudar os prazos de pagamento do bilionário projeto de defesa – de R$ 21 bilhões – feito com o Brasil.

Ou seja, o governo brasileiro, hoje com sérios problemas de caixa, poderá pagar em prazos bem mais elásticos pela construção de um submarino nuclear e outros quatro convencionais, além de um estaleiro.

Onda 2

O “sim” francês foi dado em conversa que Wagner e Drian tiveram em Cherbourg, na França, onde fica a DCNS, fábrica encarregada do projeto.