‘O Senado não é território autônomo’, diz jurista

Sonia Racy

22 Outubro 2016 | 00h30

O Poder Judiciário pode, sim, autorizar a polícia a fazer uma investigação no Senado, sem que isso signifique desrespeito a um poder da República. Quem afirma é o jurista Carlos Ari Sundfeld, lembrando que o Congresso é “um prédio público como os outros” – e, desde que autorizada, a PF pode até buscar pessoas lá dentro. “O Senado não é território autônomo e não é Embaixada”.

Sundfeld falou à coluna, também, sobre outra polêmica que tomou o mundo político ontem: a polícia legislativa pode, sim, adotar medidas que garantam o direito dos congressistas à privacidade, e não só dentro do Congresso. “É normal que eles tratem de assuntos de natureza sigilosa. Cabe à Justiça, em caso específicos, provar que houve abuso ou ilicitude”.