O direito de levantar a taça

Redação

06 Março 2009 | 07h59

Lula já deu orientação aos seus ministros. Pelo que se apurou ontem no Planalto, o presidente não vai deixar de prestigiar os governadores em seu programa habitacional de um milhão de casas.

Mas tampouco vai deixar tudo na mãos deles – para o bem ou para o mal. O plano é fazer parcerias com Estados e municípios, dividindo tarefas e utilizando infraestruturas locais. Uma outra perna do pacote prevê o financiamento direto da CEF às empresas.

Lula admite, como lhe fizeram saber alguns governadores, que a União não tem que inventar novas regras. Mas também acha que não convém deixá-los com um rojão político nas mãos.

Afinal, todos os que ele convidou a conversar são candidatos a alguma coisa.