‘Nunca vi nada assim’, diz Adriana Lima do carnaval no Rio

Sonia Racy

13 Fevereiro 2018 | 00h20

ADRIANA LIMA. FOTO MANUELA SCARPA

Com sotaque gringo puxado, Adriana Lima desembarcou pela primeira vez no carnaval brasileiro. A top – tida como a segunda brasileira mais bem paga do mundo e radicada nos EUA desde a adolescência – conversou com a coluna antes de ver, pela primeira vez na vida, um desfile de carnaval. Isso mesmo, a baiana sequer viu folia em Salvador, onde nasceu.

Como começou a carreira?
Sou de Salvador. Aconteceu tudo de repente. Eu nunca imaginei ser modelo. Uma amiga minha da escola se inscreveu para participar de um concurso e me convidou para acompanhá-la. Eu aceitei e fizemos nossas inscrições juntas e, no final, só eu que fui chamada para competição (risos). Conversei com ela e ela disse “vá”. Fui para Miami e terminei em segundo lugar.

E hoje você integra o ranking das maiores tops do mundo.
Eu não acompanho muito essas coisas. Não construo minha carreira por competição. Eu amo o que faço e meu objetivo foi, é e será sempre levar o Brasil ao mundo. Espero que algum dia eu possa trazer o mundo ao Brasil também.


Há tanto tempo morando fora, o que ouve sobre violência?
É uma coisa da qual eu não gosto de falar. Existem várias formas de violência em todos os sentidos. E isso precisa mudar.

Pensa em voltar a morar aqui?
Penso. Hoje moro em Miami e viajo o mundo inteiro.

Você deve estar acostumada ao carnaval. O que espera deste?
É a minha primeira vez no carnaval em toda minha vida. Nunca tive, até hoje, qualquer experiência com isso. Aqui do hotel (Fasano, onde recebeu a coluna para uma conversa) vi as pessoas se divertindo na Vieira Souto. Todo mundo feliz. Me deu um arrepio! Nunca vi algo assim em nenhum lugar do mundo. Nossos somos únicos.

Imagina um ‘turning point’ em sua carreira? Pensa em trabalhar com outra coisa?
Não. Eu amo meu trabalho. Eu continuarei sendo modelo e apresentadora de um programa nos Estados Unidos, que se chama American Beauty Star. Terminamos a primeira temporada e estamos agora trabalhando em um segunda. Vai emplacar. / S. R.