Sonia Racy

16 Fevereiro 2016 | 01h00

Na avenida imperava o samba, nas conversas de camarote o assunto eram o Aedes aegypti e seus perigos, mas em meio a tudo isso o ginasta Diego Hypolito garantia aos amigos: continua treinando normalmente para a Olimpíada. “Nos jogos de Pequim eu tive dengue. Não é zika, mas já foi bem ruim”, comparava o atleta, no camarote em que assistia, no sábado, ao desfile das campeãs no Rio, na Sapucaí. “Me preocupo não só com a saúde, mas também com a disputa”, dizia ele. O ex-jogador e hoje comentarista de futebol Roger Flores achava tempo para falar de outra epidemia – a já longa novela de corrupção na Fifa. “A expectativa é que sempre melhore, este é um momento de faxina (na organização do futebol)”. E descartava as ameaças do Aedes e da zika ao Rio: “Acho que a Olimpíada será como a Copa. Ninguém achava que ia dar certo e foi um sucesso”.

Acompanhado da mulher, Kyra Gracie, Malvino Salvador dizia acreditar que agora, passado o carnaval, a política e a Lava Jato voltarão às manchetes. Tendo participado de atos pelo impeachment da presidente Dilma, o ator afirma que “a melhor saída para o Brasil seria essa, ou então sua renúncia”. Mas não escondeu uma certa descrença: “Ela não vai renunciar e não vai ter impeachment porque as pessoas não foram mais às ruas, como se viu na última manifestação”.

Perto dali, no Folia Tropical, Caetano Veloso, Paula Lavigne e o caçula Tom aguardavam pelo desfile da campeã, a Mangueira, consagrada com o enredo sobre Maria Bethânia. O stylist Felipe Veloso, encarregado de levar a roupa de Caetano e Paula, programava desfilar mas temia um atraso – tinha compromisso em São Paulo na manhã do dia seguinte. Dito e feito: a verde e rosa pisou na Sapucaí com quase duas horas de atraso e Felipe teve de ir embora antes.

Quando Luana Piovani chegou à Sapucaí, a primeira escola da noite, a Imperatriz Leopoldinense, já tinha passado pelo camarote da Boa, onde estava. Ela lamentou não poder ver sua amiga Cris Viana, rainha da bateria. O marido, o surfista Pedro Scooby, só apareceria um bom tempo depois. Motivo? “Ele está em casa botando as crianças para dormir. Está pensando o quê? Tempos modernos, amor!”, respondia a atriz.

Mas quem encantava mesmo os paparazzi era o novo casal formado por Monica Iozzi e Klebber Toledo. Fotógrafos apareciam de todos os cantos e lados. Ao contrário do primeiro dia, quando ele tentou despistar, dessa vez os dois estavam bem à vontade, entre amigos. Alvoroço perto disso talvez só o de Sabrina Sato – que, apesar de sua escola, a Vila Isabel, não estar entre as campeãs, causou com um maiô-body sexy, as curvas bem à mostra. A “japa” se dizia ativista na campanha contra o assédio feminino. “A mulher deve ser respeitada independentemente da roupa, mesmo como essa que estou usando”. O cantor Lucas Lucco circulou com Sabrina pelo local. Mas nada de affair, garante ela, “ele é só amigo”. Uma mulher se aproxima e pede para tirar uma foto inusitada, beijando seu bumbum. Sabrina aceita. No clique, porém, a mulher dá uma mordidinha. “Que é isso, gente?”, reclamou a apresentadora.

O sol raiava e a pista do camarote da Boa ainda fervia ao som de DJs, depois do show de Anitta, que bombou o espaço. A funkeira já tinha colocado seu Bloco das Poderosas nas ruas do Centro do Rio, logo de manhã, naquele dia. Uma das maiores estrelas pop do momento e com um verão intenso de shows, Anitta vai na contramão da maioria dos brasileiros, cujo 2016 começa agora. Ela para tudo e sai de férias. E parte do staff, aliás, segue com ela na viagem. / PEDRO HENRIQUE FRANÇA

Últimas de Direto da Fonte