No mar

Sonia Racy

16 Janeiro 2016 | 01h30

A Petrobrás está promovendo o desmonte da Transpetro para poder vendê-la. Como primeira providência, vai apertar as encomendas de navios deixando 20 a 25 embarcações – que já estavam contratadas mas não iniciadas – para trás. As prontas devem voltar a pertencer à estatal, segundo fonte próxima do assunto.

O projeto inicial era de construir 49 novas unidades.

 

No mar 2

Depois, a estatal deve organizar a venda da joia da Transpetro: os gasodutos. E também os terminais de gás e de combustível.

O Terminal Aquaviário de Cabedelo, maior processador de gás da empresa, voltou discretamente às mãos da Petrobrás em dezembro. Antes da crise de petróleo, seus ativos estavam estimados em cerca de US$ 11 bilhões.