Mobilização partidária

Sonia Racy

20 Outubro 2012 | 01h06

Durante coquetel que antecedeu o debate entre Serra e Haddad, anteontem, o assunto era um só: Carminha. Notem bem, falava-se da personagem de Adriana Esteves, não de Avenida Brasil.

Chegou-se a pedir a Ricardo Saad, da TV Bandeirantes, que disponibilizasse um aparelho de televisão para acompanhar a novela. Nada feito.

Serra não quis arriscar palpite sobre quem matou Max. “Estou ocupado”. Entretanto, a uma equipe de TV, respondeu a questão: “Vocês já pensaram que poderia ter sido o Zé Dirceu ou o Delúbio?”. Haddad, por sua vez, reagiu com outra pergunta: “Ixi, é hoje que descobrem o assassino?”.

Mobilização 2

Emídio de Souza, do PT, desviou da pergunta e acusou: “A Carminha é o Serra”. E Jutahy Magalhães, do PSDB baiano, se disse “triste” pelo fato de a Justiça Eleitoral ter proibido exibir o último capítulo da novela após comício com Dilma ontem à noite. “O PT certamente ia provar que a Carminha é inocente”.

Mobilização 3

Desinteresse total de Alberto Goldman. O ex-governador disse que não assistia à novela porque “odeio a Carminha gritando no meu ouvido”. E emendou: “Não sei quem matou Odete Roitman. Vou sobreviver sem saber quem matou Max”.