Mercosul vai discutir aliança com a Coreia do Sul

Sonia Racy

02 Maio 2018 | 01h15

ALOYSIO NUNES

ALOYSIO NUNES. FOTO: WALDEMIR BARRETO/AGÊNCIA SENADO

Sem Temer, que desistiu da viagem, Aloysio Nunes se prepara para três semanas de agenda cheia na Ásia – onde, depois de reuniões comerciais em cinco ou seis países, a cereja do bolo será um primeiro contato, em Seul, para uma aliança Mercosul-Coreia do Sul.

Será uma reunião mais que protocolar. O chanceler brasileiro terá a seu lado no encontro, que ocorrerá na segunda quinzena do mês, os colegas da Argentina, Uruguai e Paraguai.

Ideia do grupo é
ampliar horizontes

Essa aproximação, segundo fonte da coluna, confirma a disposição do Mercosul de ampliar horizontes. Enquanto o acordo com a União Europeia avança devagar, já se discute um contato com o Canadá. E em breve entram na agenda países europeus de fora da UE, como Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein.

Sinal claro de que a ideologia perdeu espaço, de vez, nas prioridades da instituição.