Mercado está satisfeito com projeto que permite acionar Tesouro para socorrer bancos

Sonia Racy

10 Outubro 2017 | 01h00

O mercado está bastante satisfeito, segundo se apurou, com o andamento do projeto de resolução bancária que permite que o Tesouro seja acionado para socorrer bancos em dificuldades – segundo publicou ontem o Valor.

Aguardado há anos, ele deve colocar o Brasil no mesmo patamar da legislação europeia e americana.

Regra começou
em Portugal

Essa legislação, vedada pela LRF, foi introduzida inicialmente em Portugal, para atender o caso Espírito Santo. Hoje, no Brasil, quando uma instituição financeira entra em dificuldades, quem perde logo de cara é o acionista. Depois vêm os detentores de bonds e em terceiro lugar, buscam-se recursos do Fundo Garantidor de Crédito.

Tesouro será
quarta garantia

Se o projeto for aprovado, o Tesouro entra como quarto elemento – quando os outros se mostrarem insuficientes.

Mas por que a proposta – que também cria a possibilidade de se separar a parte boa do banco da parte ruim – está sendo recolocada neste momento?

Fazenda que
se prevenir

Antevendo o impacto que a queda da taxa de juros, somada à inadimplência, pode causar em 2018, o Ministério da Fazenda quer se prevenir.

Leia mais notas da coluna:

País precisa de um Estado ‘forte, mas não balofo’, diz empresário

Lerner avança projeto de minicarro para grandes cidades