Memória literária

Sonia Racy

21 Maio 2015 | 01h02

A exposição A morada do coração perdido, que abre sábado, será uma “viagem” de Mário de Andrade de volta à casa, na Barra Funda, 70 anos após sua morte.

Com ajuda da família do escritor, o curador Carlos Augusto Calil reuniu objetos e documentos de época que evocam o ambiente vivido pelo autor de Pauliceia desvairada.