José Padilha comenta assassinato de Marielle

José Padilha comenta assassinato de Marielle

Sonia Racy

21 Março 2018 | 00h20

Denise Andrade/ ESTADÃO

José Padilha está pessimista em relação a um controle da violência no Rio.

Durante a pré-estreia de seu novo longa, Sete Dias em Entebbe, anteontem, o cineasta comentou a morte de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes: “Não sei qual foi o motivo e nem quem a matou, mas isso é recorrente no Rio”.

Indagado sobre a última cena de Tropa de Elite 2 – que está sendo compartilhada nas redes sociais como um “prenúncio” do assassinato da vereadora – Padilha reafirmou sua opinião.

“As pessoas dizem que eu previ, mas é fácil prever. A violência no Rio é tão grande que, vez ou outra, acontece algum ato simbólico como esse, a morte do Tim Lopes, a chacina da Candelária, o caso do ônibus 174 e todo mundo se mobiliza, achando que alguma coisa vai mudar. Mas não há nada que me diga que as coisas vão melhorar”, disse.