‘Gosto de viver a vida com alegria’, diz Abílio

‘Gosto de viver a vida com alegria’, diz Abílio

Sonia Racy

15 Maio 2018 | 00h40

ABILIO DINIZ

ABILIO DINIZ. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Abilio Diniz é conhecido por ser adepto de atividades físicas e hábitos saudáveis. No aniversário de 80 anos – idade que comemorou no ano passado com uma conferência sobre saúde e longevidade em Sintra, com amigos – o empreendedor já acumulava diversas modalidades na sua biografia: praticou judô, boxe, capoeira, tênis, corrida e musculação.

Seu interesse por saúde é o que está por trás do lançamento, hoje, do Plenae – uma plataforma digital de estudos sobre como viver uma vida longa e com qualidade. A seguir, a rápida conversa com a coluna.

Como consegue conciliar sua rotina de exercícios com suas outras atividades?
Não é uma questão de conciliar, essa é a minha vida. Procuro manter ela organizada. Sou disciplinado, gosto de levantar todo dia às 5h30, faço duas horas de atividade física. Também tento controlar o estresse, ser o senhor das minhas atitudes, das minhas emoções. E busco viver uma vida com amor junto à família. Não gosto de sacrifício, gosto de viver a vida com alegria. O dia que eu não quiser mais fazer essas coisas, vou procurar mudar. Faço porque gosto, isso faz bem para a saúde, para a minha cabeça. E faz bem para as pessoas que convivem comigo.

Muitas pessoas dizem que não conseguem cuidar bem da saúde devido à demanda do trabalho…
Acho que isso é desculpa. Não precisa ser atleta como eu sempre fui. O que precisa é fazer um pouco de atividade física ao menos cinco vezes por semana e viver uma vida regrada, cuidar da alimentação. Não se deve comer mais do que a gente gasta (na rotina). Também é fundamental não se deixar estressar, o estresse faz muito mal. Não podemos nos deixar afetar com o que vem de fora.

O que o motivou a criar uma plataforma sobre longevidade?
Estudamos esse tema de longevidade e bem-estar há muito tempo. No ano passado, fiz um evento fora do Brasil sobre isso e levamos palestrantes de diversas partes do mundo para falar de corpo e espiritualidade. Depois desse evento, passei a achar que não podíamos parar por ali. (Eu e os especialistas) Resolvemos, então, criar uma plataforma para colocar todas essas informações, de maneira que as pessoas possam se beneficiar dos estudos na área.

Essa plataforma é voltada para quem?
A ideia é aprender e compartilhar, inclusive com as pessoas mais humildes – todos poderão acessar esse conteúdo gratuitamente. Nós temos uma pequena equipe do site que faz uma curadoria do que é publicado. Lá as pessoas podem tomar conhecimento de tudo aquilo do qual sabemos e nos beneficiamos. É de grande valia, principalmente para esse País que, em alguns anos, vai ter mais velhos do que jovens. Para que as pessoas possam se preparar e depender menos do sistema de saúde. /PAULA REVERBEL