Freire responsabiliza o PT por protestos na entrega de prêmio a Raduan Nassar

Sonia Racy

17 Fevereiro 2017 | 13h47

 
Em nota oficial divulgada neste início de tarde, o Ministério da Cultura responsabilizou o PT pelos incidentes ocorridos de manhã, no Museu Lazar Segall, em que o escritor Raduan Nassar recebeu o prêmio Camões de 2016. No episódio, ao receber a honraria, Raduan fez um discurso crítico ao governo Temer e defendeu a ex-presidente Dilma Rousseff — sendo várias vezes interrompido por aplausos e gritos de “golpe” e “Fora Temer”.
 
No texto, o MinC “lamenta, mais uma vez, a prática do Partido dos Trabalhadores em aparelhar órgãos públicos e organizar ataques para tentar desestabilizar o processo democrático”. E acrescenta que “o agraciado foi respeitado por todos durante sua fala, ao contrário do que ocorreu com o ministro da Cultura, interrompido de forma agressiva”.
 
A íntegra da nota
 
“O Ministério da Cultura (MinC) lamenta, mais uma vez, a prática do Partido dos Trabalhadores em aparelhar órgãos públicos e organizar ataques para tentar desestabilizar o processo democrático. Durante a cerimônia de entrega do  Prêmio Camões de Literatura, em São Paulo, o ministro da Cultura, Roberto Freire, teve sua fala interrompida por manifestantes partidários, sinal de desrespeito à premiação oficial dos governos de Brasil e Portugal.
 
“Considerada a mais importante distinção da Língua Portuguesa, o prêmio concedeu 100 mil euros (sendo 50 mil euros arcados pelo MinC) ao escritor brasileiro Raduan Nassar.
 
“O agraciado foi respeitado por todos durante sua fala, ao contrário do que ocorreu com o ministro da Cultura, interrompido de forma agressiva. Apesar de ser um adversário político do governo, Raduan recebeu o prêmio, legitimando sua importância. Uma premiação literária com essa dimensão não merecia esse comportamento intolerante de alguns, que tentaram partidarizar o evento.”
 
 
0 Comentários