1. Usuário
Direto da Fonte
Assine o Estadão
assine
Direto da Fonte

Direto da Fonte

Sonia Racy

FHC, corte e costura

Por Sonia Racy

19/03/2016, 00h45

   

O que mais se ouve, em conversas com banqueiros e empresários, é a certeza de que o País precisa focar em alguém que tenha credibilidade, experiência e bom trânsito entre os principais partidos – tudo para costurar uma pacificação política.

E assim evitar que aumente o abismo em que mergulhou o País.

FHC 2

O nome mais citado não é o de Michel Temer – sucessor de Dilma na eventualidade de passar o impeachment no Congresso – e sim o de FHC. “Ele não tem mais ambições eleitorais, não seria rival de ninguém”, pondera um banqueiro, lembrando que, de parte do PT, sempre haverá resistência a tudo. Mas existe chance de o ex-presidente ser encaixado nessa missão quase impossível? “Se ele refletir e pensar na sua própria biografia, sim”, assegura um empresário peso-pesado.

Pelo jeito, sondagens neste sentido já começaram.

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.