Engenheiro aponta perigos da ‘automedicação’ aplicada também em prédios

Sonia Racy

02 Maio 2018 | 01h05

Veterano de 35 anos em perícia técnica de edificações, o engenheiro civil Flávio Figueiredo alerta que uma das causas tragédias e incêndios como os de ontem, em SP, é o que ele define como “automedicação”. “Como na nossa saúde, os prédios são automedicados por seus usuários”, diz o especialista, que é conselheiro do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de São Paulo.

Sem se referir, especificamente, ao episódio de ontem, Figueiredo explicou: “Troque a palavra farmácia por loja de materiais e receita médica por projeto e especificação. Estará diante das inúmeras tentativas empíricas de se solucionar manifestações indesejáveis nos mais diversos tipos de construções.”

Na sua avaliação, “nenhuma construção parece estar imune a essa prática”.