Empresários criam empresa de lobby e aguardam regulamentação

Empresários criam empresa de lobby e aguardam regulamentação

Sonia Racy

01 Abril 2018 | 12h00

ARQUIVO PESSOAL

ARQUIVO PESSOAL

Andrew Greenlees e Luiz Antonio Flecha de Lima esperam ansiosamente pela regulamentação do lobby. Motivo? Criaram a empresa Flag, para atuar formalmente na área. O projeto de lei está pronto e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já admitiu que está na hora de votar. Os dois empresários comemoram mudança recente feita pelo Ministério do Trabalho no cadastro de ocupações. Agora, o profissional de relações institucionais e governamentais – RIG – passa a ser reconhecido. “Acho que o momento é adequado porque veio uma pressão do empresariado para profissionalizar a comunicação dele com o público específico – que são as autoridades governamentais”, disse Luiz Antônio. Ele explica que uma tarefa fundamental que eles desempenham é… traduzir o Brasil. “Temos vários encontros com pessoas de multinacionais que querem entender o momento econômico e político do País e para onde isso pode levar”, explicou. Apesar de ainda serem poucos, os países que regularam o lobby são nações de peso – como os Estados Unidos, o Canadá e o Reino Unido. O Brasil, apesar de tudo, ainda não está tão atrasado nessa área. “Sem dúvida, esse é o momento pra fazer”, conclui Greenlees.