Troca de embaixadores à vista no Itamaraty

Troca de embaixadores à vista no Itamaraty

Sonia Racy

08 Maio 2018 | 01h00

SÉRGIO AMARAL, EMBAIXADOR NOS EUA. FOTO JANETE LONGO/ ESTADÃO

Corre pela “rádio corredor” do Itamaraty uma extensa lista de apostas sobre a ciranda das cadeiras das embaixadas brasileiras até o fim do ano. Entre os poucos postos que não entram na especulação, está o de Sérgio Amaral, que permanece em Washington. E há quase certeza de que Paulo César de Oliveira Campos só deixa Paris quando Aloysio Nunes Ferreira estiver pronto para ocupar o posto.

Marcos Galvão, secretário-geral das Relações Exteriores, deve ir para a missão do Brasil junto à União Europeia, a Braseuropa. Eduardo Saboia – que em 2013 ajudou o senador boliviano Roger Molina a fugir para o Brasil –, deve ir para Tóquio.

A lista segue com Fred Arruda, assessor de Temer que cuidou do cerimonial legislativo, está quase acertado para Londres. O porta-voz de Temer, Alexandre Parola, pode ir para a OMC.

Fernando de Abreu está cotado para a FAO. André Corrêa do Lago, Délhi. Roberto Jaguaribe, Berlim. Tovar Nunes, Moscou. Paulo Cordeiro, Beirute. E Estivallet de Mesquita para Pequim.