Chapéu

Sonia Racy

14 Outubro 2016 | 00h10

O Ecad distribuiu R$ 3,8 milhões em direitos autorais relativos às festas juninas deste ano – um valor 30% menor, comparado com o do ano passado.

Motivo? O impacto da crise no setor cultural – que levou à realização de menos eventos e ao aumento da inadimplência entre os usuários de música.

Chapéu 2

Gonzagão, que lidera esse ranking há mais de 10 anos, Mario Zan, Tato, Lamartine Babo e Palmeira foram os cinco autores com maior faturamento.

E entre as músicas mais tocadas nos “arraiás” estão as típicas Festa na Roça, O sanfoneiro só tocava isso, Olha para o Céu e Asa Branca.