Pedrada, não

Sonia Racy

05 Janeiro 2016 | 01h20

O Itamaraty foi pragmático e voltou ao leito habitual da diplomacia brasileira. Foi assim que Reginaldo Nasser, estudioso de relações internacionais da PUC, viu a dura nota de ontem em que o governo afirma que “não há lugar, na América do Sul do século 21, para soluções políticas fora da institucionalidade”, ao tratar da Venezuela. 

“Mas o governo também se dá conta do terreno minado à volta e sabe que não dá mais pra levar pedrada”, completa.