Após bate-boca, sensação no STF é de que algo tem que ser feito

Sonia Racy

28 Outubro 2017 | 00h58

GILMAR MENDES

GILMAR MENDES. FOTO DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

A sensação no STF, depois do bate-boca entre Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso, é a de que se chegou ao limite máximo. E que algo tem que ser feito.

E o pedido de
impeachment?

Tem gente lembrando que o pedido de impeachment de Gilmar feito por Janot está nas mãos de Raquel Dodge.

De onde veio
o destemor?

Em meios jurídicos de SP perguntava-se de onde veio o repentino “destemor” de Barroso, que chegou a dizer que o colega tem “parceria com a leniência em relação à criminalidade de colarinho branco”.

Vale registrar: as críticas nas redes sociais, ontem, foram muito maiores a… Barroso. E registre-se também que, ao final do episódio, este foi aplaudido, no corredor, por servidores do STF.

Leia mais notas na coluna:

Hélio José tenta incluir indiciamento de Meirelles e Padilha em CPI

Cultura cria novo espaço de arte e homenageia Iatã Cannabrava