amfAR: Uma noite de lances e beldades

amfAR: Uma noite de lances e beldades

Sonia Racy

29 Abril 2017 | 01h40

Katie Holms não economizou, anteontem, em seu discurso de abertura do Gala beneficente em prol da AmfAR – a fundação americana para pesquisa sobre aids. “É muito bom estar de volta ao Brasil, ainda mais nessa festa maravilhosa”. A noite arrecadou US$ 1,3 milhões para os programas apoiados pela instituição, na reunião organizada na casa de Dinho Diniz, nos Jardins.

A atriz americana estava usando um vestido azul feito sob medida pela mineira Fabiana Milazzo, pelo qual, segundo uma amiga próxima da estilista, foi preciso desembolsar uma boa quantia para garantir que a ex Tom Cruise usasse a peça. “Não posso falar o valor, mas foi alto. Mais alto do que fechar uma mesa aqui no Gala”, comparou a moça. Uma mesa no evento não sai por menos de US$ 15 mil e pode chegar a US$ 100 mil. A estilista também vestiu outras atrizes e modelos, mas nacionais.

A festa, que é conhecida por trazer celebridades de fora que apoiam a causa, não investiu tanto nesse quesito este ano. Além de Katie Holmes, vieram Kate Moss – habituée do evento – e Julian Lennon, filho mais velho de John Lennon. Quem esperava ver a Moss ferver na pista se decepcionou: ela não estava tão no clima e deixou a comemoração mais cedo e sem se manifestar. Julian foi o único dos três a circular mais à vontade pela festa pós leilão.

As causas LGBT e os direitos dos índios também foram lembrados por Donata Meirelles e Lea T, que subiram ao palco para anunciar Preta Gil. Esta cantou, pela primeira vez, a musica Cores do Arco Íris, escrita por Nizan Guanaes em homenagem a seu irmão, Joca. Donata lembrou que o Brasil é o país com o maior número de assassinatos de homossexuais no mundo e protestou: “Se você tem preconceito, você é um idiota. O Google devia tirar essa palavra da sua busca”, disse.

Vik Muniz foi o grande homenageado da noite. O artista plástico subiu ao palco para agradecer pela homenagem após emocionado discurso de Regina Casé, sua amiga de longa data, que lembrou de todos os amigos que os dois perderam para a Aids, ao longo da vida – principalmente no começo dos anos 1980. “O Vicente (nome real de Vik) sabe que ninguém é feliz sozinho. Ele já doou mais de US$ 400 mil para está causa”, disse a atriz.

Ronaldo, o Fenômeno, foi o responsável pelo momento mais quente da noite – que, por sinal, estava gelada, fazia 14 graus em SP. Ele arrematou, no maior lance do evento, o quadro “Symphony in White”, de Vik Muniz. Numa disputa acirrada, e depois de muita tensão e insistência do leiloeiro, a tela, de 1m60 de altura, foi arrematada pelo craque por US$147 mil dólares.

Um dos lances mais disputados da noite, um ensaio fotográfico ao lado de Kim Kardashian feito pela dupla de fotógrafos
Mert alas & Marcus Pigot – e que será publicado pela Vogue Brasil – saiu por US$ 70 mil e a felizarda foi ninguém menos que… Sabrina Sato. /SOFIA PATSCH